O novo perfil de uma das profissões mais estáveis do Brasil

São Paulo — Faça chuva ou faça sol na economia do país, quem trabalha com contabilidade parece estar sempre a salvo de turbulências. Mas toda essa lendária estabilidade da carreira não se traduz em ausência de novidades — ou de mudanças.

A chegada de novas tecnologias está alterando a antiga profissão , e quem não acompanhar esse ritmo acabará ficando para trás, diz o professor Bruno Salotti, coordenador da graduação em ciências contábeis da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo).

Foi-se o tempo em que o contador era o mero encarregado de registrar manualmente em livros cada ocorrência contábil do negócio. As atividades burocráticas da área passaram a ser cada vez menos feitas por humanos com a chegada da informática e, mais tarde, dos softwares especializados.

“O profissional deixou de produzir os dados e passou a analisá-los, com o objetivo de prever o impacto contábil de cada decisão de negócios”, diz Salotti.

Nesse sentido, deixou de olhar para o passado da empresa — o dinheiro que entrou e que saiu no mês anterior, por exemplo —, e passou a fazer projeções para seu futuro.

A automatização de processos em contabilidade transformou um trabalho burocrático em analítico, o que também abriu espaço para que ele pudesse se tornar gerencial: há anos, grandes empresas já contam com a figura do CAO (Chief Accounting Officer), uma posição de diretoria alternativa à do tradicional CFO (Chief Financial Officer).

“O contador tem sido trazido para o âmbito da gestão”, afirma o professor da USP. “Ele agora ajuda a desenhar operações para gerar economia fiscal, identificar as melhores áreas geográficas para expandir o negócio e delinear as estratégias da companhia de forma geral”.

O big data entra na conta

Para desempenhar funções cada vez mais estratégicas, o contador tem em mãos um recurso precioso: o big data.

Afinal, graças ao avanço da tecnologia, um gigantesco oceano de dados está à disposição das empresas — e elas buscam profissionais capazes de ajudá-las na missão de desvendá-los, inclusive na seara contábil.

“Além de ter conhecimentos profundos em contabilidade, hoje também é preciso dominar ferramentas de análise de big data e business intelligence”, diz José Carlos Fortes, contador e presidente da Fortes Tecnologia, empresa que desenvolve de softwares de gestão.

O profissional de contabilidade mais requisitado do momento, segundo ele, é uma espécie de “cientista de dados contábeis”.

Não é preciso entender de programação, necessariamente; mas é preciso ir muito além do Excel. “O novo contador precisa dominar ferramentas de gestão de dados, montar painéis de análise e extrair conclusões para orientar as decisões do negócio”, afirma o especialista.

Domínio do inglês é raro na área

Além da facilidade para lidar com o big data, o contador do século 21 também precisa ter pelo menos nível intermediário no idioma de Shakespeare para compreender e transmitir informações sobre a situação contábil do negócio — principalmente no caso de trabalhar em uma multinacional.

“Embora tenha havido uma melhora nos últimos anos, ainda é muito difícil encontrar candidatos que falem bem inglês, porque historicamente as vagas em contabilidade não exigiam essa competência”, explica Leonardo Berto, gerente de negócios da consultoria Robert Half.

Segundo o especialista, um contador especializado em tributos que domine o idioma é do tipo “mosca branca”: encontrá-lo é uma missão praticamente  impossível.

O professor Salotti, da FEA-USP, diz que seus alunos são orientados em sala de aula a investir no inglês. “A faculdade tem disciplinas e provas em inglês, além de oferecer diversos programas de intercâmbio”, explica. “O estudante compreende desde cedo que, na carreira de contabilidade, inglês não é mais diferencial, mas requisito”.

Comportamento também importa — e muito

De acordo com o gerente da Robert Half, certas habilidades comportamentais específicas são fundamentais para se dar bem no mercado de contabilidade no Brasil.

Uma delas é a disposição para investir em atualização constante. “A pós-graduação em controladoria é o caminho natural de muitos contadores,”, explica Berto. “Como ensina a transformar números em estratégia, é um dos mais demandados pelo mercado”.

Mestrado ou MBA em auditoria, compliance, business intelligence, gestão e perícia contábil também estão entre as opções de pós-graduação mais quentes do momento na área, segundo Fortes.

Ter um perfil estudioso, porém, não é suficiente. Além de resiliência e capacidade de automotivação, o contador precisa ser hábil em relacionamentos interpessoais. “Uma demanda recorrente dos empregadores é por profissionais que saibam se comunicar e fazer a ponte entre o departamento contábil e outras áreas, como marketing, vendas ou operações”, diz Berto.

Salotti também destaca a capacidade de navegar pela interdisciplinaridade do mundo dos negócios. Além de ter um conhecimento profundo sobre a própria área, o contador também deve saber um pouco de economia, administração, estatística, direito e tecnologia.

“Quem tem uma sólida formação em ciências contábeis e uma visão panorâmica de outras áreas, além de fortes competências comportamentais, será um excelente candidato à diretoria de finanças de uma empresa”, diz o professor da FEA-USP.

Arquivado em:CARREIRA – VOCÊ S/A

Powered by WPeMatico

Os melhores cursos de economia e contabilidade, segundo o MEC

São Paulo – O Ministério da Educação (MEC), divulgou recentemente a avaliação de cursos universitários em diversas áreas, inclusive economia e ciências contábeis.

A metodologia se baseia no CPC (Conceito Preliminar de Curso), constituído por oito componentes, agrupados em três dimensões que refletem a qualidade dos cursos de graduação avaliados.

São elas: desempenho dos estudantes (que leva em conta a nota no Enade, entre outros fatores), corpo docente (nota para a proporção de mestres e doutores entre os professores, por exemplo) e condições oferecidas para o desenvolvimento do processo formativo (entre as quais valem pontos a organização didático-pedagógica e a infraestrutura, entre outros quesitos).

Segundo o Inep, os melhores cursos estão no CPC faixa 5 e têm CPC contínuo entre 3,945 e 5. A nota contínua vai de 0 a 5.

Qual é a diferença entre CPC faixa e CPC contínuo?

Um se origina do outro. Funciona assim: os cursos com nota contínua maior ou igual a 3,945, por exemplo, “pulam” para valor máximo do CPC faixa, igual a 5, mas só se tiverem nota maior que 0,945 em todos os oito componentes avaliados. Caso contrário, mesmo obtendo nota contínua  maior ou igual a 3,945, o curso terá CPC faixa igual a 4.

Essa nota é calculada para os cursos de graduação que tenham no mínimo dois estudantes concluintes participantes no Enade. Os cursos que não atendam a esse critério ficam na condição de “Sem Conceito (SC)”.

Vale lembrar que universidades que não participam do Enade, entre as quais está incluída a USP (Universidade de São Paulo), não são consideradas pelo ranking.

Alguns cursos aparecem na lista original do MEC com a indicação de ainda terem classificação sub-júdice ou com o aviso “Curso não reconhecido até 31/12/2015”, e foram excluídos da listagem desta matéria.

Você verá a seguir os cursos mais bem avaliados nas áreas de economia e contabilidade. Eles têm CPC faixa entre 4 e 5. Os resultados se referem ao ciclo de avaliação de 2015 do MEC. Confira:

Os melhores em ciências econômicas

ano nome da instituição organização acadêmica município do curso estado cpc contínuo cpc faixa
2015 faculdade fucape faculdade vitoria es 4,2865 5
2015 escola brasileira de economia e finanças faculdade rio de janeiro rj 4,2605 5
2015 universidade salvador universidade salvador ba 3,9495 5
2015 escola superior de administração e gestão strong faculdade santo andre sp 4,0600 4
2015 universidade positivo universidade curitiba pr 3,8868 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,8336 4
2015 fundação universidade federal do pampa – unipampa universidade santana do livramento rs 3,7860 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,7270 4
2015 fundação universidade do estado de santa catarina universidade florianopolis sc 3,6992 4
2015 fundação universidade federal do abc universidade sao bernardo do campo sp 3,6445 4
2015 centro universitário moura lacerda centro universitário ribeirao preto sp 3,6055 4
2015 centro universitário álvares penteado centro universitário sao paulo sp 3,5491 4
2015 escola de economia de são paulo faculdade sao paulo sp 3,4994 4
2015 universidade de brasília universidade brasilia df 3,4732 4
2015 faculdade ibmec faculdade belo horizonte mg 3,4408 4
2015 universidade do vale do rio dos sinos universidade sao leopoldo rs 3,4394 4
2015 insper instituto de ensino e pesquisa faculdade sao paulo sp 3,3964 4
2015 centro universitário la salle centro universitário canoas rs 3,3840 4
2015 universidade federal de são paulo universidade osasco sp 3,3710 4
2015 universidade federal de minas gerais universidade belo horizonte mg 3,3640 4
2015 fae centro universitário centro universitário curitiba pr 3,3008 4
2015 universidade federal de são carlos universidade sorocaba sp 3,2435 4
2015 universidade do estado do rio de janeiro universidade rio de janeiro rj 3,2296 4
2015 faculdade de economia e finanças ibmec faculdade rio de janeiro rj 3,2198 4
2015 universidade federal de alfenas universidade varginha mg 3,1913 4
2015 universidade luterana do brasil universidade canoas rs 3,1441 4
2015 universidade estadual de montes claros universidade montes claros mg 3,1177 4
2015 universidade estadual do oeste do paraná universidade toledo pr 3,1154 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,1139 4
2015 universidade federal do rio grande do sul universidade porto alegre rs 3,1097 4
2015 faculdade esamc santos faculdade santos sp 3,1070 4
2015 universidade federal de viçosa universidade vicosa mg 3,0820 4
2015 universidade nove de julho universidade sao paulo sp 3,0816 4
2015 centro universitário para o desenvolvimento do alto vale do itajaí centro universitário rio do sul sc 3,0690 4
2015 faculdade de ciências econômicas faculdade campinas sp 3,0603 4
2015 centro universitário das faculdades metropolitanas unidas centro universitário sao paulo sp 3,0585 4
2015 universidade são judas tadeu universidade sao paulo sp 3,0234 4
2015 universidade federal de são joão del rei universidade sao joao del rei mg 3,0165 4
2015 universidade estadual de campinas universidade campinas sp 3,0084 4
2015 faculdade de desenvolvimento do rio grande do sul faculdade porto alegre rs 3,0084 4
2015 universidade federal de juiz de fora universidade juiz de fora mg 3,0011 4
2015 universidade federal do paraná universidade curitiba pr 2,9921 4
2015 universidade federal do rio de janeiro universidade rio de janeiro rj 2,9825 4
2015 universidade federal rural do rio de janeiro universidade tres rios rj 2,9616 4

Os melhores em ciências contábeis

ano nome da instituição organização acadêmica município do curso estado cpc contínuo cpc faixa
2015 faculdade fipecafi faculdade sao paulo sp 4,5374 5
2015 faculdade brasileira faculdade vitoria es 4,5296 5
2015 universidade estácio de sá universidade nova iguacu rj 4,3857 5
2015 faculdade doctum de guarapari faculdade guarapari es 4,2841 5
2015 universidade santa cecília universidade santos sp 4,2649 5
2015 faculdade anísio teixeira de feira de santana faculdade feira de santana ba 4,2426 5
2015 centro universitário euro-americano centro universitário brasilia df 4,1838 5
2015 faculdade estácio do recife – estácio fir faculdade recife pe 4,1792 5
2015 centro universitário facvest centro universitário lages sc 4,1691 5
2015 universidade federal de são paulo universidade osasco sp 4,0598 5
2015 faculdade machado de assis faculdade rio de janeiro rj 4,0596 5
2015 universidade paulista universidade ribeirao preto sp 4,0541 5
2015 faculdade capixaba de nova venécia faculdade nova venecia es 4,0361 5
2015 universidade paulista universidade jundiai sp 4,0047 5
2015 faculdade fucape faculdade vitoria es 3,9971 5
2015 centro universitário nossa senhora do patrocínio centro universitário itu sp 3,9615 5
2015 universidade de rio verde universidade rio verde go 4,0025 4
2015 faculdade legale faculdade sao paulo sp 3,9594 4
2015 centro universitário facex centro universitário natal rn 3,9423 4
2015 faculdade ibmec faculdade belo horizonte mg 3,9189 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,8709 4
2015 universidade paulista universidade assis sp 3,8684 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,8374 4
2015 universidade luterana do brasil universidade cachoeira do sul rs 3,8368 4
2015 faculdade peruibe faculdade peruibe sp 3,8284 4
2015 faculdade de ciências jurídicas e sociais aplicadas do araguaia faculdade barra do garcas mt 3,8087 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,8029 4
2015 universidade estadual de maringá universidade cianorte pr 3,7974 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,7972 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,7822 4
2015 faculdade de ciências sociais aplicadas do vale do são lourenço faculdade jaciara mt 3,7583 4
2015 centro universitário antônio eufrásio de toledo de presidente prudente – toledo prudente centro universitário presidente prudente sp 3,7463 4
2015 faculdade unigran capital faculdade campo grande ms 3,7433 4
2015 centro universitário do rio grande do norte centro universitário natal rn 3,7420 4
2015 universidade anhembi morumbi universidade sao paulo sp 3,7413 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,7291 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,6809 4
2015 faculdade maria milza – campus factae faculdade cruz das almas ba 3,6776 4
2015 faculdades integradas espírito santenses faculdade vitoria es 3,6640 4
2015 faculdades integradas de ourinhos faculdade ourinhos sp 3,6551 4
2015 faculdade reges de dracena faculdade dracena sp 3,6531 4
2015 faculdade sumaré faculdade sao paulo sp 3,6496 4
2015 universidade federal de minas gerais universidade belo horizonte mg 3,6314 4
2015 faculdade de getúlio vargas faculdade getulio vargas rs 3,6306 4
2015 faculdade de administração e negócios de sergipe faculdade aracaju se 3,6237 4
2015 universidade do oeste paulista universidade presidente prudente sp 3,6058 4
2015 universidade federal de são joão del rei universidade sao joao del rei mg 3,6055 4
2015 universidade paulista universidade sao jose dos campos sp 3,6016 4
2015 universidade paulista universidade manaus am 3,6013 4
2015 universidade federal de juiz de fora universidade juiz de fora mg 3,5937 4
2015 centro universitário euro-americano centro universitário brasilia df 3,5905 4
2015 centro universitário do espírito santo centro universitário colatina es 3,5881 4
2015 universidade estadual do centro oeste universidade irati pr 3,5750 4
2015 centro universitário do estado do pará centro universitário belem pa 3,5644 4
2015 faculdade católica salesiana do espírito santo faculdade vitoria es 3,5603 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,5582 4
2015 faculdade de ciências econômicas do triângulo mineiro faculdade uberaba mg 3,5313 4
2015 universidade de brasília universidade brasilia df 3,5307 4
2015 universidade estadual de londrina universidade londrina pr 3,5305 4
2015 universidade estadual do oeste do paraná universidade cascavel pr 3,5276 4
2015 faculdades integradas da união educacional do planalto central – faciplac faculdade brasilia df 3,5198 4
2015 faculdade capixaba da serra faculdade serra es 3,5149 4
2015 universidade anhembi morumbi universidade sao paulo sp 3,5065 4
2015 faculdades integradas de botucatu faculdade botucatu sp 3,4913 4
2015 universidade católica de santos universidade santos sp 3,4853 4
2015 faculdade cathedral faculdade boa vista rr 3,4823 4
2015 centro universitário sociesc centro universitário joinville sc 3,4776 4
2015 pontifícia universidade católica do paraná universidade londrina pr 3,4770 4
2015 faculdade unida de campinas faculdade goiania go 3,4697 4
2015 universidade paulista universidade santos sp 3,4627 4
2015 universidade federal de goiás universidade goiania go 3,4545 4
2015 universidade são judas tadeu universidade sao paulo sp 3,4491 4
2015 faculdade santa helena faculdade recife pe 3,4477 4
2015 faculdade sumaré faculdade sao paulo sp 3,4449 4
2015 faculdade sudamérica faculdade cataguases mg 3,4379 4
2015 centro universitário fundação de ensino octávio bastos – feob centro universitário sao joao da boa vista sp 3,4378 4
2015 centro universitário do planalto de araxá centro universitário araxa mg 3,4348 4
2015 centro universitário católico salesiano auxilium centro universitário aracatuba sp 3,4348 4
2015 centro universitário do sul de minas centro universitário varginha mg 3,4293 4
2015 universidade do oeste de santa catarina universidade chapeco sc 3,4239 4
2015 centro universitário carioca centro universitário rio de janeiro rj 3,4198 4
2015 pontifícia universidade católica de minas gerais universidade belo horizonte mg 3,4142 4
2015 faculdade regional da bahia faculdade salvador ba 3,4111 4
2015 universidade estadual do centro oeste universidade guarapuava pr 3,3897 4
2015 faculdades integradas de três lagoas faculdade tres lagoas ms 3,3862 4
2015 centro universitário de maringá – unicesumar centro universitário maringa pr 3,3786 4
2015 faculdade de ciências contábeis e de administração do vale do juruena faculdade juina mt 3,3785 4
2015 estácio fib – centro universitário estácio da bahia centro universitário salvador ba 3,3683 4
2015 centro universitário da grande dourados centro universitário dourados ms 3,3679 4
2015 faculdades integradas promove de brasilia faculdade brasilia df 3,3668 4
2015 instituto cenecista fayal de ensino superior faculdade itajai sc 3,3580 4
2015 universidade da região da campanha universidade bage rs 3,3575 4
2015 faculdade de ciências humanas e sociais faculdade paripiranga ba 3,3545 4
2015 universidade federal de santa maria universidade santa maria rs 3,3508 4
2015 centro universitário álvares penteado centro universitário sao paulo sp 3,3457 4
2015 centro universitário carioca centro universitário rio de janeiro rj 3,3457 4
2015 faculdade da amazônia ocidental faculdade rio branco ac 3,3426 4
2015 universidade nove de julho universidade sao paulo sp 3,3360 4
2015 faculdade de pimenta bueno faculdade pimenta bueno ro 3,3351 4
2015 centro universitário de joão pessoa centro universitário joao pessoa pb 3,3324 4
2015 faculdade metropolitana de manaus faculdade manaus am 3,3311 4
2015 faculdade de economia e finanças ibmec faculdade rio de janeiro rj 3,3254 4
2015 faculdades unidas do vale do araguaia faculdade barra do garcas mt 3,3254 4
2015 centro universitário de caratinga centro universitário caratinga mg 3,3163 4
2015 universidade nove de julho universidade sao paulo sp 3,3028 4
2015 faculdade itop faculdade palmas to 3,3019 4
2015 faculdade aldete maria alves faculdade iturama mg 3,2979 4
2015 centro universitário leonardo da vinci centro universitário indaial sc 3,2966 4
2015 centro universitário estácio de brasília – estácio brasília centro universitário brasilia df 3,2889 4
2015 faculdade de ciências de timbaúba faculdade timbauba pe 3,2881 4
2015 faculdade vale do salgado faculdade ico ce 3,2781 4
2015 universidade estácio de sá universidade macae rj 3,2745 4
2015 universidade paulista universidade sao paulo sp 3,2718 4
2015 centro universitário jorge amado centro universitário salvador ba 3,2717 4
2015 universidade estácio de sá universidade niteroi rj 3,2630 4
2015 faculdade energia de administração e negócios faculdade florianopolis sc 3,2625 4
2015 universidade federal do rio grande do sul universidade porto alegre rs 3,2619 4
2015 universidade de cruz alta universidade cruz alta rs 3,2603 4
2015 universidade nove de julho universidade sao paulo sp 3,2603 4
2015 centro universitário de belo horizonte centro universitário belo horizonte mg 3,2602 4
2015 universidade paulista universidade sorocaba sp 3,2568 4
2015 centro universitário senac centro universitário sao paulo sp 3,2542 4
2015 universidade nove de julho universidade sao paulo sp 3,2493 4
2015 universidade federal de santa maria universidade santa maria rs 3,2484 4
2015 centro universitário adventista de são paulo centro universitário engenheiro coelho sp 3,2373 4
2015 centro universitário para o desenvolvimento do alto vale do itajaí centro universitário taio sc 3,2371 4
2015 faculdades integradas rui barbosa faculdade andradina sp 3,2352 4
2015 universidade estadual de mato grosso do sul universidade ponta pora ms 3,2316 4
2015 fundação universidade do estado de santa catarina universidade ibirama sc 3,2244 4
2015 faculdade venda nova do imigrante faculdade venda nova do imigrante es 3,2233 4
2015 faculdade de estudos sociais do espírito santo faculdade cariacica es 3,2212 4
2015 centro universitário univates centro universitário lajeado rs 3,2197 4
2015 universidade do contestado universidade concordia sc 3,2196 4
2015 faculdade da região dos lagos faculdade cabo frio rj 3,2151 4
2015 faculdade estácio do pará – estácio fap faculdade belem pa 3,2073 4
2015 universidade do contestado universidade canoinhas sc 3,2071 4
2015 faculdade josé lacerda filho de ciências aplicadas faculdade ipojuca pe 3,2026 4
2015 trevisan escola superior de negócios faculdade sao paulo sp 3,2014 4
2015 centro universitário de votuporanga centro universitário votuporanga sp 3,1943 4
2015 faculdade de administração e ciências contábeis de são roque faculdade sao roque sp 3,1926 4
2015 faculdade de ciências humanas esuda faculdade recife pe 3,1903 4
2015 centro universitário do distrito federal centro universitário brasilia df 3,1857 4
2015 faculdade avantis faculdade balneario camboriu sc 3,1847 4
2015 faculdade piauiense faculdade teresina pi 3,1814 4
2015 faculdade interamericana de porto velho faculdade porto velho ro 3,1761 4
2015 universidade tecnológica federal do paraná universidade pato branco pr 3,1753 4
2015 instituto cenecista de ensino superior de santo ângelo faculdade santo angelo rs 3,1726 4
2015 universidade federal de santa catarina universidade florianopolis sc 3,1721 4
2015 faculdade empresarial de chapecó faculdade chapeco sc 3,1721 4
2015 faculdade do sul faculdade itabuna ba 3,1710 4
2015 universidade federal da paraíba universidade joao pessoa pb 3,1697 4
2015 universidade do sul de santa catarina universidade tubarao sc 3,1694 4
2015 faculdade inedi faculdade cachoeirinha rs 3,1645 4
2015 universidade federal do rio de janeiro universidade rio de janeiro rj 3,1620 4
2015 universidade são judas tadeu universidade sao paulo sp 3,1612 4
2015 faculdade de ciências aplicadas doutor leão sampaio faculdade juazeiro do norte ce 3,1596 4
2015 universidade federal rural do semi-árido universidade mossoro rn 3,1589 4
2015 universidade do estado do rio de janeiro universidade rio de janeiro rj 3,1586 4
2015 universidade regional de blumenau universidade blumenau sc 3,1580 4
2015 faculdades atibaia faculdade atibaia sp 3,1543 4
2015 universidade federal rural do rio de janeiro universidade seropedica rj 3,1505 4
2015 faculdade de são lourenço faculdade sao lourenco mg 3,1487 4
2015 universidade cruzeiro do sul universidade sao paulo sp 3,1442 4
2015 centro universitário de sete lagoas centro universitário sete lagoas mg 3,1432 4
2015 faculdade ateneu faculdade fortaleza ce 3,1397 4
2015 fundação universidade federal de rondônia universidade cacoal ro 3,1324 4
2015 centro universitário herminio ometto centro universitário araras sp 3,1313 4
2015 faculdade cenecista de osório faculdade osorio rs 3,1299 4
2015 centro universitário monte serrat centro universitário santos sp 3,1287 4
2015 universidade do estado de mato grosso universidade sinop mt 3,1267 4
2015 universidade federal do rio grande do norte universidade natal rn 3,1254 4
2015 universidade cândido mendes universidade campos do goytacazes rj 3,1232 4
2015 faculdade do recife faculdade recife pe 3,1174 4
2015 faculdade estácio euro- panamericana de humanidades e tecnologias – estácio europan faculdade cotia sp 3,1171 4
2015 faculdade nova roma faculdade recife pe 3,1131 4
2015 faculdade de jaguariúna faculdade jaguariuna sp 3,1124 4
2015 centro universitário estácio radial de são paulo – estácio uniradial centro universitário sao paulo sp 3,1110 4
2015 universidade de brasília universidade brasilia df 3,1051 4
2015 faculdade dom pedro ii faculdade salvador ba 3,1034 4
2015 universidade de caxias do sul universidade nova prata rs 3,1021 4
2015 faculdade assis gurgacz faculdade cascavel pr 3,1008 4
2015 centro universitário christus centro universitário fortaleza ce 3,0978 4
2015 faculdade de desenvolvimento e integração regional faculdade santa cruz do capibaribe pe 3,0971 4
2015 faculdade anchieta de ensino superior do paraná faculdade curitiba pr 3,0957 4
2015 centro universitário – católica de santa catarina em joinville centro universitário joinville sc 3,0945 4
2015 instituto de educação superior raimundo sá faculdade picos pi 3,0939 4
2015 universidade paulista universidade brasilia df 3,0917 4
2015 faculdade dom bosco de porto alegre faculdade porto alegre rs 3,0895 4
2015 faculdade piauiense faculdade parnaiba pi 3,0882 4
2015 faculdade araguaia faculdade goiania go 3,0880 4
2015 instituto de ensino superior presidente tancredo de almeida neves faculdade sao joao del rei mg 3,0876 4
2015 universidade regional integrada do alto uruguai e das missões universidade frederico westphalen rs 3,0866 4
2015 universidade estadual do oeste do paraná universidade marechal candido rondon pr 3,0861 4
2015 universidade do vale do sapucaí universidade pouso alegre mg 3,0836 4
2015 faculdade sete de setembro faculdade fortaleza ce 3,0793 4
2015 centro universitário católico salesiano auxilium centro universitário lins sp 3,0774 4
2015 centro universitário estácio do ceará centro universitário fortaleza ce 3,0761 4
2015 universidade de marília universidade marilia sp 3,0753 4
2015 universidade positivo universidade curitiba pr 3,0727 4
2015 fae centro universitário centro universitário curitiba pr 3,0701 4
2015 pontifícia universidade católica de são paulo universidade sao paulo sp 3,0685 4
2015 universidade federal do ceará universidade fortaleza ce 3,0682 4
2015 faculdade projeção faculdade brasilia df 3,0625 4
2015 faculdade novos horizontes faculdade belo horizonte mg 3,0599 4
2015 centro universitário unifafibe centro universitário bebedouro sp 3,0560 4
2015 universidade federal do rio de janeiro universidade rio de janeiro rj 3,0548 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 3,0547 4
2015 centro universitário de bauru centro universitário bauru sp 3,0533 4
2015 universidade federal da bahia universidade salvador ba 3,0514 4
2015 fal estácio – faculdade estácio de natal faculdade natal rn 3,0491 4
2015 faculdade maurício de nassau de fortaleza faculdade fortaleza ce 3,0486 4
2015 universidade federal de uberlândia universidade uberlandia mg 3,0472 4
2015 faculdade amadeus faculdade aracaju se 3,0469 4
2015 faculdade anhanguera de rio claro faculdade rio claro sp 3,0463 4
2015 universidade do sul de santa catarina universidade ararangua sc 3,0458 4
2015 universidade regional do noroeste do estado do rio grande do sul universidade ijui rs 3,0448 4
2015 universidade tuiuti do paraná universidade curitiba pr 3,0435 4
2015 fundação universidade federal de rondônia universidade porto velho ro 3,0387 4
2015 universidade comunitária da região de chapecó universidade chapeco sc 3,0367 4
2015 libertas – faculdades integradas faculdade sao sebastiao do paraiso mg 3,0347 4
2015 faculdade de ciências gerenciais de manhuaçu faculdade manhuacu mg 3,0256 4
2015 faculdade centro oeste faculdade laranjeiras do sul pr 3,0232 4
2015 faculdade dos guararapes faculdade jaboatao do guararapes pe 3,0165 4
2015 faculdade de ciências sociais aplicadas de extrema faculdade extrema mg 3,0133 4
2015 universidade federal de viçosa universidade vicosa mg 3,0103 4
2015 universidade federal de mato grosso do sul universidade tres lagoas ms 3,0080 4
2015 centro universitário do norte centro universitário manaus am 3,0071 4
2015 instituto master de ensino presidente antônio carlos faculdade araguari mg 3,0067 4
2015 centro universitário de união da vitória centro universitário uniao da vitoria pr 3,0065 4
2015 faculdade católica rainha do sertão faculdade quixada ce 3,0036 4
2015 universidade do ceuma – uniceuma universidade sao luis ma 3,0025 4
2015 faculdade maurício de nassau de salvador faculdade salvador ba 3,0007 4
2015 centro universitário luterano de ji-paraná centro universitário ji-parana ro 2,9978 4
2015 centro universitário estácio da amazônia – estácio amazônia centro universitário boa vista rr 2,9959 4
2015 faculdade panamericana de ji-paraná faculdade ji-parana ro 2,9943 4
2015 faculdade de itapiranga faculdade itapiranga sc 2,9935 4
2015 faculdade alfredo nasser faculdade aparecida de goiania go 2,9895 4
2015 instituto de ensino superior de americana faculdade americana sp 2,9886 4
2015 universidade federal de uberlândia universidade ituiutaba mg 2,9873 4
2015 universidade paulista universidade goiania go 2,9872 4
2015 universidade federal do piauí universidade teresina pi 2,9867 4
2015 universidade estácio de sá universidade rio de janeiro rj 2,9817 4
2015 faculdade boa viagem faculdade recife pe 2,9790 4
2015 universidade cruzeiro do sul universidade sao paulo sp 2,9768 4
2015 universidade paulista universidade santana de parnaiba sp 2,9763 4
2015 faculdade de itaituba faculdade itaituba pa 2,9719 4
2015 faculdade sul brasil faculdade toledo pr 2,9648 4
2015 pontifícia universidade católica do paraná universidade curitiba pr 2,9648 4
2015 faculdade carlos drummond de andrade faculdade sao paulo sp 2,9637 4
2015 universidade do vale do itajaí universidade biguacu sc 2,9593 4
2015 faculdade integrada euclides fernandes faculdade jequie ba 2,9590 4
2015 universidade anhanguera de são paulo – unian-sp universidade sao bernardo do campo sp 2,9586 4
2015 faculdades integradas do vale do ribeira faculdade registro sp 2,9553 4
2015 universidade de caxias do sul universidade farroupilha rs 2,9551 4
2015 unidade de ensino superior dom bosco faculdade sao luis ma 2,9545 4
2015 universidade federal de pernambuco universidade recife pe 2,9529 4
2015 fundação universidade federal da grande dourados universidade dourados ms 2,9524 4
2015 faculdade integrada metropolitana de campinas faculdade campinas sp 2,9521 4
2015 faculdade de minas bh faculdade belo horizonte mg 2,9494 4
2015 universidade cruzeiro do sul universidade sao paulo sp 2,9484 4
2015 faculdade cenecista de capivari faculdade capivari sp 2,9463 4
2015 faculdade de realeza faculdade realeza pr 2,9451 4

Arquivado em:CARREIRA – VOCÊ S/A

Powered by WPeMatico

É advogado e não tem medo de matemática? Esta área é para você

São Paulo — Ninguém decide fazer Direito porque adora matemática: como qualquer profissional de humanas, o advogado costuma se sentir mais à vontade para lidar com palavras do que com números. O mercado, porém, oferece boas oportunidades para quem contraria essa tendência.

A carreira jurídica na área tributária — que exige gosto pelo universo quantitativo — é uma das mais aquecidas do momento no Brasil, diz Bruno Lourenço, sócio da Vittore Partners, empresa de recrutamento especializada nos setores jurídico, tributário, de relações governamentais e anticorrupção.

O problema é que o estudante de Direito não costuma desenvolver seu pensamento matemático na graduação. “A maioria das faculdades não prepara o estudante sequer para construir uma planilha de Excel”, diz Lourenço, que só descobriu seu interesse pelo universo tributário depois de viver uma experiência numa grande consultoria.

Resultado: advogados que não têm medo de matemática são raros, e os que existem são disputados a tapa pelos empregadores.

De acordo com o sócio da Vittore Partners, as empresas estão correndo atrás de gerentes tributários, especialmente se tiverem inglês fluente e conhecimentos sólidos em finanças e contabilidade. Essa última qualificação costuma ser obtida com um curso de graduação ou com pós-graduação na área. “Outra boa opção é buscar um curso de finanças voltado para advogados, porque o assunto já será apresentado na sua linguagem”, recomenda Lourenço.

Qual é o seu perfil: consultivo ou contencioso?

A carreira em direito tributário normalmente é dividida em duas vertentes: consultiva ou contenciosa. Os perfis são bastante diferentes entre si e dificilmente um advogado exerce as duas funções simultaneamente.

A modalidade consultiva é voltada para o mundo dos negócios, diz Camila Dable, sócia da Salomon Azzi, consultoria de recrutamento e seleção voltada ao mercado jurídico. A missão desse profissional é reduzir riscos e prejuízos financeiros de uma empresa com base em seus conhecimentos dos tributos.

Ele atuará em fusões e aquisições, processos de constituição de fundos de investimentos, bem como no planejamento tributário e societário de um cliente, por exemplo. Também estão sob sua alçada atividades ligadas à gestão financeira, custo e estruturação de capital e produtos e operações do mercado financeiro que serão usados pela área de tesouraria, completa Bruno Lourenço, da Vittore.

Quando atua na esfera consultiva, o advogado tributário costuma ser encontrado em departamentos jurídicos ou financeiros de companhias, em escritórios de advocacia ou em empresas de auditoria.

Já a modalidade contenciosa está ligada às esferas judiciais (tribunais regionais, estaduais ou superiores) e administrativas (órgãos como o CARF — Conselho Administrativo de Recursos Fiscais — ou o TIT —Tribunal de Impostos e Taxas), explica Renato Sapiro, também sócio da Salomon Azzi. O papel, aqui, é defender o cliente diante de um juiz em processos ligados a infrações na área tributária.

Esse tipo de advogado costuma trabalhar principalmente em escritórios, ou então em departamentos jurídicos de empresas. Sua missão é evitar prejuízos financeiros do seu cliente com eventuais indenizações e condenações que proíbam a empresa de fazer determinados negócios no futuro.

O que é exigido de cada perfil?

As competências necessárias para ter sucesso na carreira tributária dependem da vertente escolhida pelo advogado, explicam Dable e Sapiro.

Para a área consultiva, além do bacharelado em Direito e registro na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), é importante ter experiência em empresas de contabilidade, pós-graduação (MBA ou lato sensu) em direito tributário ou até mesmo uma segunda graduação em ciências contábeis. “Você precisa saber ler um balanço, fazer cálculos, entender o suficiente de economia, contabilidade e finanças para discutir decisões com o seu cliente”, diz Sapiro.

Inglês fluente é obrigatório, já que esse advogado frequentemente trabalha para multinacionais e precisa conversar com investidores estrangeiros.

Já na vertente contenciosa, a formação exigida costuma ser mais acadêmica. “Além de graduação e OAB, é importante ter um diploma de pós-graduação stricto sensu, como mestrado e doutorado, ou um LLM [Master of Laws]”, diz Dable. Muitos profissionais dessa área que trabalham em escritório também dão aulas na universidade.

A principal exigência para quem trabalha na esfera contenciosa é conhecer profundamente o Processo Civil. Também é essencial compreender o funcionamento de tribunais e órgãos administrativos e saber se posicionar bem perante um juiz, explica a sócia da Salomon Azzi.

O domínio do inglês, ao contrário do que ocorre com o advogado tributário consultivo, não é tão preponderante.

E a matemática?

De acordo com Vanessa Canado, professora de direito tributário na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e sócia do escritório CSMV, o advogado que pretende atuar na área tributária precisa, sim, ter gosto por números, mas não precisa ser um gênio do cálculo.

“A matemática exigida no nosso cotidiano é aquela que aprendemos no ensino médio, não vai muito além das quatro operações básicas”, explica ela. Ainda assim, faz bem ter conhecimentos de matemática financeira. O grau de familiaridade com os números também pode ser mais exigido por alguns clientes do que por outros.

De forma geral, o advogado tributário é mais cobrado no quesito numérico quando atua na frente consultiva. “Quando você atua com negócios, contratos e operações de fusões, é preciso ter um olhar mais interdisciplinar, ao contrário do advogado contencioso, que se preocupa mais com o Direito puro”, afirma a professora da FGV.

Ainda assim, ressalta Bruno Lourenço, da Vittore, até o advogado ou estudante de Direito que não pretende trabalhar na área de direito tributário precisa derrotar, de vez, a má vontade com a matemática. “Qualquer que seja sua especialidade, o advogado está sendo cada vez mais cobrado nesse sentido”, explica. “Ele precisa falar a língua dos números com seus clientes e mostrar o impacto financeiro de uma decisão em qualquer âmbito”, explica.

Um estudo feito em 2014 por professores da Universidade de Harvard reforça o recado. Os pesquisadores perguntaram a 124 advogados de 11 grandes escritórios dos Estados Unidos quais eram as disciplinas mais importantes da grade curricular de um aluno de Direito. A resposta da maioria foi “Análise de declarações financeiras e contabilidade”.

Vagas e salários

O cenário para quem se interessa por direito tributário é bastante animador — qualquer que seja a especialidade escolhida.

A demanda do mercado pelo profissional contencioso, que estava adormecida nos últimos anos, está passando por um renascimento na visão da professora Vanessa Canado, da FGV. “Os tribunais têm acatado mais frequentemente as teses dos contribuintes, o que tem gerado trabalho para quem vai defendê-los diante do juiz”, explica.

A oferta de oportunidades para o advogado consultivo — o mais requisitado atualmente, segundo Dable e Sapiro, da consultoria Salomon Azzi — está atrelada à aceleração dos negócios, o que ocorre em tempos de bonança econômica, ou então à necessidade de cortar custos, condição própria da crise. Conclusão: em qualquer momento pode haver demanda.

Em ambos os casos, a preocupação com medidas anticorrupção e compliance também melhora a empregabilidade para quem atua na área. Afinal, mais empresas buscam se precaver contra eventuais prejuízos financeiros em caso de irregularidade fiscal.

A valorização do advogado especializado na área tributária também se reflete na sua remuneração. Ao contrário de outras áreas do direito, em que há uma forte saturação na oferta de mão de obra, a falta de advogados com disposição para lidar com números joga os salários para cima.

Um estudo recente da consultoria de recrutamento Robert Half traz as seguintes projeções para profissionais de Direito tributário no Brasil em 2017:

Tributário contencioso

Cargo Salário em 2017 (empresas pequenas) Salário em 2017 (empresas médias) Salário em 2017 (empresas grandes)
Advogado sênior 8,5 mil – 14 mil reais 11 mil – 18,5 mil reais 11,5 mil – 18,5 mil reais
Advogado pleno 6,2 mil – 8,5 mil reais 6,5 mil – 11 mil reais 7 mil – 12 mil reais
Advogado júnior 3,8 mil – 5,5 mil reais 4 mil – 6,5 mil reais 4 mil – 7 mil reais

Tributário consultivo

Cargo Salário em 2017 (empresas pequenas) Salário em 2017 (empresas médias) Salário em 2017 (empresas grandes)
Advogado sênior 8,5 mil – 16,3 mil reais 11,5 mil – 21 mil reais 12,5 mil – 21 mil reais
Advogado pleno 6,2 mil – 9,5 mil reais 6,5 mil – 12,5 mil reais 6,5 mil – 14,5 mil reais
Advogado júnior 4,2 mil – 5,5 mil reais 4,3 mil – 8 mil reais 4,3 mil – 8 mil reais

Arquivado em:CARREIRA – VOCÊ S/A

Powered by WPeMatico

3 desafios que o setor de serviços precisa enfrentar agora

Em março, o setor de serviços do Brasil reduziu mais do que o esperado e teve seu pior resultado em cinco anos. O volume de serviços apresentou queda de 2,3% sobre o mês anterior, que anulou a alta de 0,4% obtida em fevereiro, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado interrompeu quatro meses seguidos de ganhos ou estabilidade. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a contração foi de 5% no volume. Os números indicam que esse setor tem grandes desafios a enfrentar.

Inspirados neste artigo do site da TOTVS, listamos três para você se preparar e retomar o ritmo de crescimento. Vamos juntos?

1. Gestão de relacionamento

Colocar o cliente no centro da estratégia é cada vez mais imperativo para empresas que queiram crescer mesmo neste momento de crise. No setor de serviços, como em qualquer outro, é preciso conhecer profundamente seu perfil de cliente, suas necessidades, seus hábitos. Com essas informações integradas, atualizadas e disponíveis, é necessário ainda conhecer seu time interno para saber, por exemplo, qual é o melhor profissional para realizar determinada atividade com qualidade e eficiência. O foco, não custa lembrar, deve ser sempre a resolução do problema do cliente.

2. Captação de clientes

É inegável que a dificuldade de atrair clientes nos últimos anos só aumentou em decorrência do momento instável pelo qual o Brasil está passando. Por isso, quem quiser continuar crescendo precisa conhecer também seu público em potencial e apresentar seus diferenciais competitivos de forma clara, atraente e pertinente. A tecnologia da informação pode ser uma grande aliada neste desafio. Por meio dela é possível utilizar critérios inteligentes para captar, qualificar e impactar as pessoas certas, que podem vir a ser seus novos clientes. Neste momento, é indispensável que equipes de marketing e vendas estejam unidas para criar esforços consistentes em transformá-los em leads qualificados. Ela também pode ajudar a calcular o Custo de Aquisição de Clientes (CAC), especialmente no marketing digital, em que a grande maioria das ações é mensurável e os dados normalmente já estão no sistema de gestão da empresa.

3. Gestão Contábil

Atualmente, é fundamental para uma empresa de serviços ter uma solução de contabilidade digital que possibilite lançar notas fiscais, gerar obrigações fiscais e acessórias que atenda ao Fisco. Além disso, a solução deve suprir a necessidade de alimentar a alta gestão com informações gerenciais para tomada de decisão que possibilitem realizar análises e classifiquem clientes, tipo de serviços do contrato, resultados por empresas e filiais, entre outros. Além de evitar que a empresa empenhe esforços desnecessários com a digitação manual sem qualquer análise prévia dos tipos de movimentos e lançamentos, a utilização desse tipo de tecnologia evita que ela sofra punições severas oriundas de multas.

Para saber como sua empresa de serviços pode superar os principais desafios em 2017, continue sua leitura com este artigo da TOTVS.

Arquivado em:NEGÓCIOS, PME

Powered by WPeMatico

A remuneração para 9 cargos de contabilidade e finanças em 2017

São Paulo — Em 2017, a maior parte das vagas para contabilidade e finanças será aberta para repor profissionais demitidos. Poucos serão os empregadores que investirão na expansão de suas equipes, afirma um estudo recente da consultoria de recrutamento Robert Walters.

Em meio à crise, 2016 foi um ano desafiador para o mercado como um todo. No primeiro semestre, a procura por executivos da área financeira foi baixa, tanto porque as multinacionais reduziram suas operações no Brasil quanto porque fintechs e empresas de tecnologia tentaram economizar com contratações.

Conforme a situação política começou a tomar contornos mais definidos, porém, investidores começaram a recuperar sua confiança nos negócios e houve mais oportunidades para executivos de finanças capazes de apresentar soluções estratégicas para os problemas trazidos pela crise.

Em 2017, as melhores cabeças serão ainda mais disputadas pelas empresas. “Gerentes de recrutamento terão dificuldades para recrutar profissionais que ofereçam uma combinação de competências técnicas e comportamentais, além de fluência em inglês”, diz o relatório da Robert Walters.

Mais do que nunca, o domínio da língua fará diferença para quem quer se destacar. “Ainda é muito difícil encontrar profissionais brasileiros com inglês realmente fluente”, diz  australiano Kevin Gibson, CEO da consultoria para a América Latina. “Quem consegue se garantir nisso tem chances melhores em qualquer carreira”.

Remuneração anual
Segundo o estudo da Robert Walters, os salários para finanças e contabilidade deverão se manter estáveis em 2017, mesmo para profissionais que estão mudando de emprego.

A consultoria traz a remuneração para 9 cargos de contabilidade e finanças em 2017 no Brasil. Os números indicam o salário-base anual de cada posição, em reais, excluídos bônus e benefícios. Veja abaixo:

Cargo Salário anual para 4 – 8 anos de experiência (R$) Salário anual para 8 – 12 anos de experiência (R$) Salário anual para mais de 12 anos de experiência (R$)
Diretor financeiro (CFO) 335 mil – 530 mil 450 mil – 655 mil
Gerente de finanças e contabilidade 130 mil – 200 mil 160 mil – 240 mil
Diretor de controladoria 160 mil – 270 mil 220 mil – 340 mil 285 mil – 420 mil
Business controller 143 mil – 190 mil 160 mil – 250 mil 220 mil – 350 mil
Controller de custos 120 mil – 140 mil 120 mil – 140 mil 160 mil – 240 mil
Gerente de planejamento financeiro 145 mil – 240 mil 160 mil – 270 mil 250 mil – 380 mil
Gerente de tesouraria 170 mil – 280 mil 190 mil – 310 mil 230 mil – 380 mil
Gerente de contabilidade 130 mil – 190 mil 155 mil – 260 mil 160 mil – 330 mil
Gerente de auditoria interna 130 mil – 180 mil 140 mil – 210 mil 155 mil – 270 mil

Arquivado em:CARREIRA – VOCÊ S/A

Powered by WPeMatico

7 vilões que roubam dinheiro do seu negócio sem você perceber

São Paulo – Um dos maiores desafios na hora de administrar uma empresa é manter as contas em dia – especialmente porque muitos donos de negócios não possuem experiência na área.

Tal lacuna é tão visível que muitos empreendimentos vão à falência em poucos anos: mais de um quarto das empresas com dois anos de vida acaba fechando as portas.

“Essas quebras ocorrem nitidamente por uma falta de conhecimento financeiro. O empreendedor não sabe lidar com conceitos como capital de giro, por exemplo”, afirma William Eid Júnior, coordenador do Centro de Estudos em Finanças da EAESP/FGV. “O aprendizado sobre o controle das finanças está diretamente relacionado ao sucesso da empresa.”

Muitas vezes, os donos de negócio focam no que os atraiu ao empreendedorismo – o desenvolvimento do produto – e se esquecem dos “bastidores”, como a área de contabilidade. “O gestor de qualquer empresa tem de estudar administração. Mesmo que não vire um especialista, é preciso ter noções básicas e conseguir olhar para dentro da sua própria empresa”, completa Tiago Oliveira, sócio da consultoria Brapartner.

Saber cuidar do seu empreendimento é uma tarefa que pode ser reduzida a uma expressão: governança corporativa. Mesmo que seja algo mais comum em grandes empresas, as PMEs também podem fazer uso do conceito. “Governança corporativa é você ter a contabilidade em dia, é controlar um fluxo de caixa, é comparar o orçamento futuro com o realizado, por meio de projeções”, exemplifica Oliveira.

Mas, para isso, é preciso buscar os conhecimentos necessários. “Só vejo um caminho, que é a busca pela formação. A maioria dos empreendedores não tem capacidade financeira de ter regularmente um profissional na área. Então, fazer cursos de finanças e melhorar por si só com certeza podem ajudar”, recomenda Bruno de Araújo, professor do curso de Ciências Contábeis do Ibmec/MG.

Para ajudá-lo no seu caminho para contas mais saudáveis, EXAME.com selecionou algumas pegadinhas no mundo das finanças, que podem estar comendo seu orçamento empresarial. Confira quais são os vilões que roubam dinheiro do seu negócio sem você perceber – e o que fazer para enfrentá-los:

1. Juros em compras, contas e empréstimos

Na hora em que você negocia compras a prazo com seus fornecedores, você leva em consideração quanto de juros está embutido no acordo?

Lembre-se: é sempre bom fazer as contas com precisão e verificar se vale a pena parcelar a compra de matéria-prima.

“Compare a taxa de juros que você paga no produto embutido com a taxa de empréstimo praticada para o valor que você pegaria emprestado para pagar à vista. Assim, você saberá se vale a pena ou não. Às vezes, esse cálculo passa desapercebido pelo empreendedor”, explica Araújo, do Ibmec/MG.

Outra conta que os empreendedores não costumam fazer é a da multa paga por contas em atraso. “Pode acontecer por falta de dinheiro, mas também por falta de organização. De qualquer jeito, é sinal de falta de controle financeiro. Arrumando as contas, você evita perder dinheiro por algo tão evitável.”

Vale lembrar que nem sempre pagar juros é algo negativo – desde que você tenha feito as contas e esteja buscando uma modalidade correta de financiamento para o seu negócio. “O empreendedor pode estar buscando uma linha inadequada para seu tipo de negócio”, conclui o especialista.

Por exemplo, pegar dinheiro via cheque especial para financiar o capital de giro não é uma boa ideia, por conta dos altos juros. Sempre vale a pena pesquisar mais e conhecer os diversos produtos oferecidos pelas instituições financeiras.

2. Tarifas bancárias e de maquininhas

Outra área que costuma passar batida pelos donos de negócio é a de tarifas. Por exemplo, quando o banco cobra um valor pelo serviço que presta: movimentação na conta corrente e na poupança e a realização de transferências, por exemplo. “Os empreendedores muitas vezes sequer percebem que estão pagando tais tarifas. É preciso que você veja o quanto está pagando e renegocie com o banco a redução desses valores. Ou busque alternativas financeiras com custos menores”, recomenda Araújo, do Ibmec/MG.

Se seu negócio usa uma maquininha, fique atento: também há tarifas cobradas sobre a venda realizada por meio de cartão de crédito. “É uma vantagem trabalhar com cartão de crédito, mas fique atento ao custo que isso incorre. Saiba quanto você realmente leva ao vender um produto, descontando o aluguel da maquininha e o percentual de venda que é cobrado pela administradora”, conclui o docente.

3. Falta de acompanhamento dos gastos operacionais

Muito dinheiro pode ser perdido caso as despesas do dia a dia não sejam controladas com precisão – por meio de um fluxo de caixa, por exemplo. Para Oliveira, da Brapartner, faz falta o olhar do gestor para a operação diária, semanal e mensal da sua empresa. “Isso acaba gerando gastos desnecessários. Por exemplo, os funcionários ficam sem um processo padrão para cotar produtos e ainda podem deixar a luz ligada todo o tempo, gerando despesas a mais.”

A situação pode ficar ainda mais séria e gerar pequenas desonestidades: desde o fechamento de compras com fornecedores apenas por amizade até pequenos furtos. “Você deveria fazer uma auditoria constante e, principalmente, coibir a falta de honestidade por meio da transformação da cultura da sua empresa para que ela seja voltada para a ética”, explica Eid, da FGV.

“Se os funcionários sabem que a empresa possui processos e que o dono pede a explicação dos custos, cria-se uma cultura de contenção dos gastos. Por isso, crie políticas internas de aprovações de acordos, de compras e de contratações, por exemplo”, completa Oliveira.

4. Ineficiência nos processos

Pare e pense: há uma forma mais eficiente de fazer atividades que você já realiza na sua empresa? Se a resposta for sim, saiba que seu negócio está perdendo dinheiro à toa.

Você precisa revolucionar a forma como pensa no seu orçamento, diz Eid, da FGV. Isso pode ocorrer por meio de um método chamado de “orçamento base zero”: no lugar de se basear pelos gastos dos anos anteriores, comece do zero e prove cada item do orçamento separadamente, sem ter uma base em que se apoiar. Assim, você sempre terá a mente aberta para cortar o que for ineficiente.

“Você aloca dinheiro para algo específico e acaba se habituando com certos gastos, sem questionar se eles estão lá porque devem estar ou porque são costumes. Quando você vai fazer o orçamento da empresa, deveria partir do zero e repensar se você deveria gastar com aquilo ou não. Será que eu realmente preciso desses gastos?”, explica o docente.

Nessa avaliação, também vale a pena pensar na área de contabilidade: afinal, ela é a responsável por você não perceber dinheiro que vai pelo ralo. “Não controlar demonstrações financeiras, fluxo de caixa e impostos é algo muito grave. Não só pela gestão em si, mas até por futuros investimentos: você precisará mostrar a empresa para o mercado, e uma empresa organizada vale muito mais do que uma desorganizada”, completa Oliveira, da Brapartner.

5. Impostos inadequados

Há diversos modelos de tributação adequados para uma pequena empresa, de acordo com seu faturamento, porte e tipo de atividade. É possível seguir o Lucro Presumido, o Lucro Real ou o Simples Nacional, por exemplo.

“É importante que o empreendedor conheça a melhor opção para ele e, assim, evite perder dinheiro por um enquadramento tributário inadequado. Para isso, vale a pena conversar com um contador para saber qual a melhor opção”, recomenda Araújo, do Ibmec/MG.

6. Formação de preço ruim

Vender mais nem sempre é garantia de lucro maior: se você não fizer a precificação correta dos seus produtos ou serviços, pode estar perdendo dinheiro a cada negócio fechado.

Se você não sabe com precisão qual o custo total da sua mercadoria – desde os juros ao comprar matéria-prima até os valores de transporte e taxas de transações a prazo -, não conseguirá saber por qual preço deve vendê-la. “Sem esses dados, você não calcula sua margem. Isso se origina de uma falta de análise na hora de formar preços”, explica Oliveira, da Brapartner.

7. Gastos que não agregam valor à empresa

Faça-se um último questionamento, mais existencial: você pode até querer um escritório maior ou tecnologias de ponta, mas será que isso realmente resultará mais satisfação ao seu cliente e, portanto, mais vendas? Se a resposta for negativa, você pode estar deixando sua empresa no vermelho por nada.

“Muito dinheiro se perde gastando com itens que não necessariamente trazem valor ao consumidor”, resume Araújo, do Ibmec/MG. “Antes do gasto, pense se aquilo irá fazer com que seu cliente fique satisfeito e compre mais da sua empresa. Por exemplo, gaste em reformas se você entender que seu cliente valoriza isso. Se não for algo reconhecido, não adianta.”

Arquivado em:PME

Powered by WPeMatico

Autônomo, MEI, Simples? Como ganhar mais sendo freelancer

São Paulo – Ganhar mais, flexibilizar os horários e equilibrar a vida pessoal e profissional. Achou interessante? Essas são aspirações comuns entre os corajosos que pensam em largar o emprego com carteira assinada para ser freelancer, mas isso tem um preço. Afinal, quanto custa ser autônomo ou microempreendedor individual?

Ao largar o emprego para trabalhar por conta própria, você pode escolher se continuará como pessoa física, sendo autônomo, ou se você se tornará uma pessoa jurídica, como Microempreendedor Individual (MEI) ou empreendedor pelo regime Simples Nacional. Essa escolha determinará o volume de impostos e benefícios que você e os clientes que contratam seus serviços pagarão.

Conforme explicam os contadores, é mais barato ser pessoa jurídica do que autônomo ou assalariado, porque o governo quer que as pessoas abram empresas e saiam da informalidade. Sabe aqueles descontos todos do seu salário na empresa? Como freelancer, eles poderão ser bem menores, se você se tornar um microempreendedor individual.

Veja abaixo quanto custa ter carteira assinada, ser MEI ou trabalhar como autônomo, com base nos impostos e benefícios que você é obrigado a pagar.

1. Carteira assinada

A segurança da carteira assinada custa caro. Com ela, você paga todo mês 11% do seu salário para o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), como explica o contador José Maria Chapina, presidente da Seteco Contabilidade e vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo.

Além disso, você também tem o Imposto de Renda (IR) descontado do seu salário mensal pela tabela progressiva, cujas alíquotas variam entre 7,5% e 27,5%, de acordo com a sua renda (veja o desconto aplicado em cada faixa de renda).

Você também custa para a empresa que o contratou. Ela paga todo mês 20% do seu salário para o INSS, 1% para o seguro de acidente de trabalho, 5,8% para terceiros (como Sesi, Senai e Sesc) e 8% de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

2. Microempreendedor Individual (MEI)

Percebeu como ter carteira assinada tem seu preço e se sentiu estimulado a ser freelancer? Antes de tomar essa decisão, lembre que, ao trabalhar por conta própria, você não terá benefícios como plano de saúde da empresa, férias remuneradas, 13º salário e seguro desemprego.

Mas, como MEI, você é isento de IR e paga apenas 49 reais por mês como prestador de serviços, destinado ao INSS e ao Imposto sobre Serviços (ISS), que vai para os municípios. A lei também obriga escritórios contábeis tributados pelo Simples Nacional a prestar seus serviços de graça para criar um MEI e realizar sua primeira declaração anual de IR. 

 terá um registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita o pedido de empréstimos em bancos e a emissão de notas fiscais. Outra vantagem é que a empresa que contrata o MEI não paga nada além do serviço prestado, o que pode se tornar um diferencial no mercado em relação aos freelancers autônomos (pessoa física), que custam caro para quem os contrata.

“É muito mais vantajoso ser MEI. As portas vão se abrir, não falta trabalho para quem é pessoa jurídica”, diz a consultora tributária Elvira de Carvalho, da King Contabilidade.

Para ser MEI, é preciso ter uma das atividades profissionais listadas aqui e ganhar até 60 mil reais por ano (5 mil reais por mês, em média).

Quem ganha mais do que 60 mil reais ao ano como freelancer não pode ser MEI e se enquadra como empreendedor pelo regime Simples Nacional. Por esse regime tributário, você paga 6% sobre seus rendimentos, e a empresa que o contrata não paga nada além dos seus serviços.

3. Autônomo

Ser autônomo é a forma de relação de trabalho mais cara para freelancers. Você poderá dar recibos pelos seus serviços apenas ao se inscrever na prefeitura, mas isso custa caro. Como autônomo inscrito, além de pagar 11% de INSS sobre seus rendimentos e o IR pela tabela progressiva, você também é obrigado a arcar todo mês com 5% de ISS sobre sua renda.

Para as empresas, você também é muito mais caro do que se fosse MEI, porque elas precisam recolher 20% de INSS sobre o pagamento dos seus serviços. “É por isso que as empresas preferem trabalhar com pessoas jurídicas. Autônomos custam caro”, explica Elvira.

Há ainda a opção de ser autônomo e prestar serviços informalmente, sem ser inscrito na prefeitura. Esse modelo de contratação, no entanto, está em processo de extinção, porque a empresa corre o risco de sofrer processos trabalhistas. “Se o autônomo provar que prestava um serviço contínuo, é possível entrar na Justiça para reconhecer o vínculo empregatício”, diz Elvira.

Nesses casos, a empresa também desconta do pagamento 20% de INSS, IR pela tabela progressiva e 5% de ISS.

Como explica Elvira, autônomos não inscritos podem contribuir por conta própria com o INSS, pagando 11% de um ou mais salários mínimos por mês por meio de um carnê. Nesse caso, é preciso avisar a empresa, para ela não descontar os 20% de INSS do seu pagamento.

Simulação

Para entender o quanto você ganha ou perde com cada um desses formatos de relação de trabalho, a pedido de EXAME.com, o contador José Maria Chapina, da Seteco Contabilidade, preparou uma simulação dos descontos, com base em três rendimentos mensais diferentes. Veja:

Tipo de relação de trabalho Empregado com carteira assinada Microempreendedor individual Empreendedor pelo Simples Nacional Autônomo
Encargos 11% de INSS + IR Contribuição MEI* 6% pelo Simples Nacional 11% de INSS + IR + 5% de ISS
Total de descontos em uma renda de R$ 2.500 R$ 299,08 R$ 49 R$ 150 R$ 424,08
Total de descontos em uma renda de R$ 5.000 R$ 904,39 R$ 49 R$ 300 R$ 1.154,39
Total de descontos em uma renda de R$ 10.000 R$ 2.294,53 R$ 49 R$ 600 R$ 2.794,53

*R$ 49 é o valor da contribuição MEI para prestadores de serviço. O valor máximo é R$ 50, para comerciantes.

Fonte: José Maria Chapina, da Seteco Contabilidade

Arquivado em:SEU DINHEIRO

Powered by WPeMatico

Conheça os empreendedores que crescem 700% no meio da crise

Fabio Bacarin tinha uma ideia: digitalizar menus de restaurantes. Inscreveu seu plano de negócios na aceleradora de Vitor Torres, mas foi logo rejeitado. Não que a ideia fosse ruim – pelo contrário, a startup tomou forma! O problema era que a aceleradora não tinha nenhuma expertise no meio. Apesar disso, Fabio tinha um brilho nos olhos diferente e Vitor ficou impressionado.

Assim nasceu não só uma amizade, como uma sociedade que tem dado certo desde 2012 e que deu origem a uma plataforma disruptiva de contabilidade para micro e pequenas empresas. Mas, antes de falarmos da Contabilizei, precisamos falar de quem está por trás de tudo.

Da lama ao escritório

Volte a fita. O ano é 1990 e Vitor é um menino de apenas oito anos que adorava assistir ao MacGyver na TV. Em sua imaginação, corria por trilhas cheias de lama, numa Land Rover verde oliva equipada de mantimentos e kits de sobrevivência. Sua mãe sempre perguntava:

– Filho, o que você vai ser quando crescer?
– Eu vou ser aventureiro.

Talvez por isso ele tenha ido rastejar na lama 10 anos depois, quando atingiu a maioridade, nos treinamentos do Exército Brasileiro. Vitor foi Oficial por três anos, servindo como segundo tenente no Rio Grande do Sul. Enquanto isso, concluía a faculdade de Administração.

Por mais três anos, atuou como analista e consultor de negócios em consultorias internacionais em São Paulo. Depois de passar por vários estados brasileiros, foi buscar experiência fora do país. Em Londres, trabalhou por dois anos em sua área, no International Golf & Resort

Management

Mas a realização do sonho de aventura começou mesmo quando decidiu que iria empreender. De volta à sua cidade natal, Porto Alegre, fundou uma empresa de educação corporativa e consultoria em liderança, a Mind On.

Apesar do sucesso, ele já sabia que queria iniciar um negócio de tecnologia. De mudança para Curitiba, fundou a Supernova, primeira aceleradora do Paraná, que o expôs à cena empreendedora tech no Brasil.

Startupeiro de formação

Enquanto isso, Fabio se graduava em Ciência da Computação na Universidade de Maringá. Foi da faculdade para a Celepar, uma empresa pública de Tecnologia da Informação, onde trabalhou como desenvolvedor por quase 7 anos.

Antes de sair, no entanto, Fabio já tinha sido contagiado pelo vírus do empreendedorismo. Começou duas empresas: a primeira foi a 3WMobile, que desenvolvia soluções em Android e IOS para empresas. A segunda foi a MenuRápido (o caso lá do início), uma plataforma online para transformar cardápios em aplicativos móveis com poucos cliques.

A época em que Fabio deixou a Celepar e a MenuRápido coincide justamente com o período em que a Contabilizei começou a ganhar corpo, em que os dois entraram totalmente de cabeça. O convite veio de Vitor depois de mais de um ano de pesquisas.

Pessoas certas e… Dinheiro no bolso?

Vitor sempre viu a dificuldade das empresas lidarem com a parte contábil, quando consultor. Na Mind On, os desafios ficaram ainda mais claros, quando sentiu a burocracia na pele. As altas taxas e as etapas longas o frustravam por serem quase estritamente manuais e offline, o que permitia mínimo controle.

Percebendo a oportunidade de automatizar um processo arcaico, enfurnou-se na firma de contabilidade de um amigo por um mês para observar a dinâmica do setor.

Mas Vitor não era especialista nem em contabilidade, nem em sistemas. Também não tinha capital para dar os primeiros passos – ainda mais casado, com uma filha de 10 anos e a segunda chegando. Escutou muitos “não” e “esquece isso”, de várias pessoas, mas ele sabia onde queria chegar. Só precisava de gente que topasse a aventura com ele.

Errou nessa escolha duas vezes, até se unir ao Fabio, que comprou a ideia com muito entusiasmo. “Encontrar um desenvolvedor é fácil, mas o mais importante é encontrar um sócio desenvolvedor. E, aqui, está a grande diferença: sócio! Não digo na questão societária apenas, mas no comprometimento e na paixão pelo produto e por mudar a vida de milhares de micro e pequenos empresários no Brasil”, ele conta.

Por muito tempo, a Contabilizei sobreviveu com as economias da família. Vitor havia vendido sua parte da Mind On e seguiu em frente sem nenhuma remuneração. Foram mais de 12 meses sem dinheiro nenhum entrar, até receberem um investimento da Curitiba Angels em 2014. Foi só a cereja do bolo para o negócio começar a decolar.

Um modelo campeão

O modelo apostou em fornecer todos os serviços de um escritório de contabilidade tradicional – cuja contratação é obrigatória segundo a legislação brasileira -, mas na nuvem e com maior transparência.

Os clientes têm acesso em tempo real a relatórios e balanços e contam com suporte de contadores e especialistas, além de gerar guias de impostos online, notas fiscais eletrônicas e enviar alertas sobre datas de vencimentos. E, como tudo é digital, os planos também são bastante acessíveis: “conseguimos repassar o ganho que temos em redução de custos para o cliente e democratizar o serviço”, conta Vitor.

Com isso, a Contabilizei consegue atender até 60 vezes mais PMEs que uma firma comum e gerar uma economia de até 90% em serviços contábeis, facilitando a vida de empreendedores. Dessa forma, eles mantêm suas empresas regularizadas, mas ainda têm tempo de focar no que importa: fazê-las crescerem!

Crise?

Por falar em crescimento, não tem nada que Vitor e Fabio têm feito além disso. Depois de um teste beta bem sucedido e o lançamento oficial da plataforma no início de 2014, a dupla aumentou a base de clientes em 1 200% em pouquíssimo tempo. No ano seguinte, o faturamento subiu mais de 700%.

Mas não pense que o trabalho é fácil, ou que a vida dos dois ficou mais tranquila quando veio o sucesso. A rotina de Vitor começa às 4h da manhã, quando todos em casa estão dormindo. Foi a forma que ele encontrou de equilibrar o trabalho e a convivência com a família.

Além disso, para lidar com a guinada e os recursos limitados, eles precisaram ser os “MacGyvers do próprio negócio”, brincam. Vitor, por exemplo, aprendeu a desenvolver sites com tutoriais de internet, executar rotinas contábeis e realizar o atendimento aos clientes, dado o volume da demanda.

Em menos de dois anos, a Contabilizei e seus 50 colaboradores permitiram que pequenas e médias empresas em 30 cidades economizassem mais de 25 milhões de reais em serviços contábeis.

A trajetória do negócio e de Vitor e Fabio acabou chamando a atenção dos criadores do Mercado Livre, também fundadores da Kaszek Ventures, que entraram como sócios no último ano.

Novas aventuras

Não há dúvidas de que Vitor e Fabio estejam revolucionando o mundo dos negócios. Mesmo com uma crise em curso, eles conseguiram provar que a disrupção tem espaço no Brasil e que vencer essa aventura é viável – quem sabe até usando os obstáculos de um sistema burocrático a seu favor, não é mesmo?

Por causa dessa forte visão, espírito empreendedor e pelo diferencial e potencial de escala do negócio, os dois acabam de ser aprovados como Empreendedores Endeavor!

O 64º Painel Intenacional de Seleção (ISP) aconteceu no último 27 de Maio, em Madrid, Espanha, onde enfrentaram a última fase do processo, após uma série de entrevistas e análises da empresa.

Com a aprovação, Vitor Torres e Fabio Bacarin passam a receber mentoria de uma rede composta pelos maiores empreendedores e especialistas de negócios do Brasil, para que continuem crescendo, gerando empregos e facilitando a vida de mais aventureiros fundadores de empresas pelo país.

Como em qualquer jornada desbravadora, desafios sempre vão surgir. Mas Vitor e Fabio nunca pensaram em desistir, nem mostram sinais de que a Contabilizei será qualquer coisa menor que gigante. Afinal, quando que o MacGyver achou alguma coisa impossível?

Texto publicado em Endeavor.(Thinkstock)” description=” São Paulo – http://www.exame.com.br/topicos/empreendedorismo”>Empreender; não é fácil. Você precisa lidar com riscos, trabalhar para ser excelente no que faz e buscar sempre uma forma de inovar no seu negócio. Com tantos desafios, é possível que às vezes apareça aquele desânimo. Para ajudá-lo a superar esses momentos, separamos 25 http://www.exame.com.br/topicos/frases”>frases; de inspiração e http://www.exame.com.br/topicos/motivacao”>motivação; para empreendedores. São ideias de pessoas de sucesso como o fundador do Google, Larry Page, e da Amazon, Jeff Bezos. Todas as frases foram retiradas do Startup Vitamins, uma https://www.facebook.com/startupvitamins/”>página no Facebook que reúne doses de inspiração e motivação para quem é do universo empreendedor. Navegue pelos slides acima e inspire-se.”>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Exame.com)” description=””>(Reprodução)” description=” https://exame.abril.com.br/pme/noticias/10-respostas-de-marcus-lemonis-a-duvidas-de-empreendedores”>10 respostas de Marcus Lemonis a dúvidas de empreendedores“>

Arquivado em:PME

Powered by WPeMatico

Conta de água fica mais cara em São Paulo

São Paulo – Já está custando mais caro o consumo de água na cidade de São Paulo e na maioria dos municípios abastecidos pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A partir de hoje (12) a tarifa terá aumento de 8,44% a título de compensar a variação da inflação no período, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no período de março de 2015 a março deste ano, com taxa de 9,38%.

Esse reajuste, autorizado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), já tinha sido anunciado há um mês, conforme publicação feita no diário oficial do estado.

Além do aumento, os consumidores não podem mais contar com os descontos que vinham ocorrendo desde o período de maior estiagem.

Com essa elevação, o valor da tarifa residencial social, estabelecida em caso de consumo de até 10 metros cúbicos, subiu de R$ 7,00 para R$ 7,59 por mês. Esse mesmo valor é fixado na cobrança dos serviços de coleta de esgoto.

A tarifa social é concedida às famílias carentes, seguindo alguns critériols de avaliação como, por exemplo, renda familiar de até três salários mínimos; moradores de casas de até 60 metros quadrados e consumo de energia elétrica que não ultrapasse a 170 kwh por mês.

Em relação ao fornecimento de água nas residências em quantidade acima de 10 metros cúbicos mensais, o valor da tarifa passou de R$ 20,64 para R$ 22,38 por mê e, igualmente, o mesma tarifa vale para a coleta de esgoto.

De acordo com a Artesp, por enquanto, o reajuste não incidirá apenas nos municípios de Lins, Magda e Glicério, localidades onde as tarifas terão aplicação em datas distintas. Em Magda, por exemplo, o aumento só poderá ser aplicado a partir de 1º de Julho.

Tarifa sobe e cai o bônus

Além de pagar mais para ter água em casa, os consumidores da Sabesp deixaram de contar, desde o último dia 1º, com o bônus que tinha sido concedido em 2014 no período do auge da crise hídrica como forma de estimular a redução no consumo.

Simultaneamente, também não está sendo mais aplicada a sobretaxa de quem consome acima da média.

Arquivado em:ECONOMIA

Powered by WPeMatico

É a vez dos temporários na área financeira

São Paulo – Contratar profissionais temporários para cargos de média e alta gestão tem se tornado uma solução muito utilizada nas áreas de finanças e contabilidade no Brasil. É o que mostra o estudo realizado pela empresa de recrutamento Robert Half com CFOs de empresas com operação no país. 

Segundo a pesquisa, nos últimos três anos, 58% dos diretores financeiros entrevistados notaram a alta do modelo dentro das empresas.

Mas ao que se deve esse crescimento repentino? Os motivos citados variam. Os profissionais temporários podem ser contratados para desde suprir licenças de funcionários fixos e alcançar habilidades especializadas, até avaliar o desempenho e manter a produtividade do colaborador antes de realizar a proposta final. 

No final das contas, ambos lados se beneficiam, já que temporários chamados para tais cargos recebem todos os benefícios de um funcionário permanente – mesmo que seja por tempo determinado. Além disso, a oportunidade resulta em maior conhecimento do setor e chances de efetivação e valorização salarial.

Arquivado em:CARREIRA – VOCÊ S/A

Powered by WPeMatico